14º edição do Programa de Educação Ambiental - Mostra Professor José Lutzenberger (2015)

Mostra Lutz 2015

Diversidade foi o tema transversal dos projetos desenvolvidos pela rede de escolas de Garopaba (SC) na 14ª edição do Programa de Educação Ambiental Mostra Prof. José Lutzenberger – Mostra Lutz. O evento, que já foi incorporado ao calendário da cidade, aconteceu no dia 20 de novembro de 2015, no espaço da Feira de Verão, no centro de Garopaba (SC).  






Ao longo de 2015, professores/as e estudantes trabalharam em sala de aula questões relativas à diversidade ambiental, de gênero, raças e culturas. O resultado foi apresentado à comunidade na tradicional feira de final de ano na forma de músicas, artesanato, maquetes, brinquedos, livros. Participaram da 14ª Mostra Lutz 24 escolas municipais e particulares de Garopaba, além dos parceiros Projeto Baleia Franca, IFSC, AMA, Grupo Condutores Ambientais, Instituto Ilhas do Brasil e Projeto Gaia Jovem. 




Crianças e jovens da rede de ensino da região há 14 anos convivem com o Programa de Educação Ambiental promovido pela Secretaria Municipal de Educação de Garopaba, Fundação Gaia e Projeto Ambiental Gaia Village. Neste período, a Mostra Lutz espalhou sementes que ajudam a sensibilizar a população sobre a importância de preservar o meio ambiente. 





Confira todas as fotos da 14ª Mostra Lutz AQUI



Assista aos vídeos com as apresentações e outros projetos das escolas AQUI. 








No final da Mostra Lutz 2015, as crianças foram para a beira do mar soltar pipas







Bons exemplos se multiplicam a cada ano 

Estes foram alguns trabalhos apresentados durante a Mostra Lutz 2015:

No Centro Educacional Infantil Garopaba, pais e familiares envolveram-se na transformação do pátio da Escola. Em mutirão, reciclaram materiais que restaram da construção da escola e confeccionaram bancos, uma composteira, e caixotes para compor uma horta vertical. 
A Escola Municipal (EM) Maria Ferreira Couto propôs retomar a coleta seletiva na comunidade e promoveu oficinas para criação de brinquedos pedagógicos.
A EM Jandira da Silva promoveu o paisagismo produtivo, com hortas verticais e composteira.
A Escola do Pinguirito incentivou a alimentação saudável através de oficinas e trocas de receitas caseiras.
Na EM Salomão Silveira houve um estímulo à alimentação saudável, com a introdução, na horta escolar, de mudas de ervas aromáticas e medicinais.  Em sala de aula, o grupo pesquisou com mais profundidade sobre os usos de cada erva, esforço que deverá resultar num folheto explicativo para uso das famílias.
Estudantes da EM Isidro Amorim fizeram análises das águas na região de Areias de Ambrósio utilizando o ECOKIT doado pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc). 
A Escola Municipal Acácio Bento transformou-se em ponto de entrega voluntário dos recicláveis da comunidade da Costa do Macacu, alinhada aos princípios da Prefeitura de Garopaba de estimular a coleta seletiva nas escolas da rede municipal, dotando-as de infraestrutura para a entrega de material reciclável.
Na Escola Municipal Agostinho Botelho, do Capão, além da composteira de resíduos orgânicos e de uma horta vertical para mobilizar os alunos a melhores hábitos alimentares, também foi feito um tapete com 6.900 sacolas plásticas, e uma parede musical de instrumentos construídos a partir do reaproveitamento de diversos utensílios.
Na comunidade de Areias de Palhocinha, as turmas do 4º e 5º ano da EM Paula Martins pesquisam sobre a flora e fauna da Mata Atlântica para elaborar um guia ilustrado da flora existente no entorno da Escola.
A Escola Ary Manoel desenvolveu o Projeto “Atitudes do Bem” que contemplou coleta seletiva de recicláveis e criação de jogos pedagógicos.
No Centro de Educação Infantil Maria Marta Sanseverino as crianças participaram da construção de uma horta suspensa, com aproveitamento de caixotes de feira, onde plantaram hortaliças, ervas medicinais e aromáticas, e outras plantas como mudas de babosa (Aloe Vera) e merthiolate (JatrophaMultifida).
No Colégio Curupira foram construídos jogos com material de sucata fazendo os alunos refletirem sobre a produção e reutilização do lixo. Outro projeto sobre a cultura africana resultou na construção de máscaras com casca da palmeira jerivá.
A Escola Januário Ferreira estimula  a permanência dos jovens no campo, valorizando a agricultura familiar, as tradições da pesca e a cultura local, através de encontros e oficinas que envolvem toda a comunidade.
Na EM Norberto Floriano, a valorização da história e das raízes culturais das origens açorianas do lugar esteve presente em encontros familiares. Essa escola também mapeou a diversidade de ambientes e de culturas da comunidade da Encantada através de uma mostra fotográfica.
A Escola Aduci Arbues motiva seus estudantes a plantar e colher alimentos saudáveis da horta escolar e também promove a coleta seletiva dos recicláveis da comunidade do Siriú.
Na Crescer e Conhecer, as crianças ampliaram seus conhecimentos em relação ao mar e sua fauna e flora, criando estratégias para combater sua poluição.
O Centro Educacional Campo Duna desenvolveu três projetos envolvendo reciclagem: o Peixinho de Chocolate inclui um mural do fundo do mar reciclado, puff de bobina, aquário, livro e o caderno de registro; João e o Pé de Feijão virou um livro gigante, com maquete da história, carros, ônibus e animais confeccionados com matérias recicláveis; e há ainda um projeto de livro baseado no poema Diversidade, de Tatiana Belinky.
Na Escola Constância Lopes, a comunidade escolar desenvolve atividades de sensibilização no ambiente costeiro visando a conhecer a biodiversidade e também a colaborar com a limpeza da praia da Gamboa através de mutirões de coleta do lixo.
O Colégio Buriti incentivou o consumo de alimentos saudáveis e discutiu a importância da água no corpo humano através do projeto Alimentando meu Corpinho.
A Escola Arvoredo incentivou estudantes e seus familiares a fazerem a separação dos resíduos do lanche escolar, compostagem, armazenamento correto de óleo, pilhas, sobras de papel e esponjas de cozinha para reciclagem, bem como o reaproveitamento de água das chuvas.
O Centro Educacional Infantil Areias de Palhocinha resgatou valores de consumo consciente promovendo oficinas para confecção de brinquedos e jogos pedagógicos a partir de sucatas.
A Escola Especial Renascer, com seu projeto de sustentabilidade intitulado Mãe Terra, desenvolveu praticas como horta, compostagem, reciclagem de papel e oficinas com reaproveitamento de materiais diversos que resultam em peças decorativas.
O Centro Educacional Ibiraquera demonstrou na prática os conceitos de uma escola sustentável através de sua horta, galinheiro com telhado verde, jardim, composteira e espiral de ervas.
O Centro de Educação Infantil Othilia Teixeira envolveu seus pequenos estudantes numa horta comunitária que contou com o apoio de moradores da comunidade da Limpa. 




Estudantes do Programa Gaia Jovem, que desenvolve saberes para a internalização da cultura pela sustentabilidade planetária a partir de vivências práticas no Rincão Gaia, também participaram da Mostra Lutz 2015. O Gaia Jovem inclui estudantes dos municípios de Pantano Grande e de Encruzilhada do Sul/RS. Neste ano, algumas crianças tiveram contato com  o mar pela primeira vez. Após as atividades na Mostra, professores/as e alunos/as se divertiram com o Projeto Prancha Ecológica. 







Comentários